Resultados

Quedas em idosos de Florianópolis/SC

Entre as necessidades geradas pelo processo de envelhecimento populacional destaca-se estudar as condições de vida e de saúde das pessoas idosas. Dentre alguns fatores importantes estão as quedas, que podem acarretar graves prejuízos para os idosos, tais como morbidades, mortalidade, elevar o tempo de hospitalização, assim como os gastos e institucionalizações precoces. Assim, o EpiFloripa Idoso, estudo populacional, de base domicilia, conduzido com idosos de Florianópolis/SC, tem como um de seus objetivos mostrar à população como está a saúde dos idosos residentes na região urbana do munícipio.

Ao investigar os fatores que podem ocasionar quedas dentro e fora do domicílio, em 1619 idosos residentes em Florianópolis, evidenciou-se que destes, 287 idosos tiverem alguma queda nos anos de 2013/2014, sendo que a maioria (62,97%) caiu fora do domicílio. Os fatores que podem influenciar na ocorrência de quedas fora do domicílio são ter percepção ruim das calçadas perto de casa, perceber a própria saúde ruim/muito ruim, morar em locais com poucas áreas comerciais e com pouca quantidade de calçadas. Já os fatores que influenciam a ocorrência de quedas dentro do domicílio são ter 70 anos ou mais de idade e fazer uso de cinco ou mais medicamentos.

Alertar os idosos quanto aos cuidados necessários para evitar a ocorrência das quedas, assim como orientá-los sobre a gravidade do evento e as complicações que este pode causar, também é uma necessidade diante da pouca importância que os idosos atribuem às quedas. Além disso, para promover a diminuição da ocorrência de quedas em idosos, as intervenções devem ser planejadas com foco nas particularidades não só do ambiente domiciliar do idoso, mas também do ambiente construído, com maior atenção para a conservação das características do ambiente, o que nem sempre é levado em consideração e expõem os idosos a riscos.

 

Fonte:

- Antes, Daniele Ledur. Relação de fatores individuais e do ambiente construído com a prevalência de quedas em idosos de Florianópolis. Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, da Universidade Federal de Santa Catarina. 2015.

 

Acompanhe mais notícias sobre o projeto:

www.epifloripa.ufsc.br

https://www.facebook.com/groups/1640954516157440/?fref=ts

https://www.facebook.com/groups/762053607143842/?fref=ts

 

Sintomas depressivos em idosos de Florianópolis/SC

As transições demográficas, epidemiológica e comportamental que evidenciam o envelhecimento da população mundial, ratificam a necessidade de estudar as condições de vida e saúde dos idosos. Assim, o EpiFloripa Idoso, estudo longitudinal, representativo da população idosa de Florianópolis/SC, tem como um de seus objetivos mostrar à população como está a saúde dessa população que  reside na região urbana do munícipio.

Dentre as condições de saúde, pesquisar os sintomas depressivos é muito importante, pois é considerado um dos problemas psiquiátricos mais comuns e importantes na população idosa, podendo ocasionar incapacidade, outros agravos e saúde, perda da qualidade de vida e da autonomia.

Ao pesquisar sobre o número de idosos com relato de sintomas depressivos em Florianópolis, foi identificado que 23,9% (no ano de 2009) e 19,0% (em 2014) apresentaram sintomas depressivos elevados. Os fatores que podem contribuir para o aparecimento ou alteração desses sintomas foram: baixa escolaridade; situação econômica ruim; déficit cognitivo; percepção negativa de saúde; dependência funcional; dor crônica e idade avançada (70 anos ou mais). Por outro lado, a prática de atividade física, a participação em grupos de convivência ou religiosos e a atividade sexual se mostraram fatores protetores, ou seja, podem ajudar a população idosa na prevenção desses sintomas. Um aspecto que merece destaque é que entre os idosos que se mantiveram ativos no lazer desde a primeira entrevista (2009) a chance de ter sintomas depressivos em 2014 foi menor. Assim, para a prevenção dos sintomas depressivos e promoção da saúde mental, sugere-se o envolvimento dos idosos em grupos fazendo atividades que estimulem a função cognitiva, física e social, além da prática de atividades físicas nos diferentes contextos da vida (lazer, deslocamento, atividades domésticas e trabalho), considerando àquelas que despertem prazer e realização.

 

Fontes:

- Borges, Lucélia Justino. Sintomas depressivos e atividade física em idosos: estudo longitudinal. Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação Física da Universidade Federal de Santa Catarina. 2014.

 

Qualidade de vida de idosos de Florianópolis/SC

As transformações demográficas, aliadas ao aumento da expectativa de vida, repercutiram na necessidade de estudar as condições de vida e saúde dos idosos, incluindo sua qualidade de vida. Neste sentido, o EpiFloripa Idoso, estudo populacional, domiciliar e representativo para idosos de Florianópolis/SC, tem como um de seus objetivos mostrar à população de Florianópolis/SC como está a saúde dos idosos residentes na região urbana do município.

Ao investigar a associação das mudanças nas relações sociais e no estilo de vida, ocorridas no período entre 2009/2010 e 2013/2014, sobre a qualidade de vida de 1197 idosos, evidenciou-se que estes possuem uma boa qualidade de vida. Os principais fatores que contribuíram para isso foram: retornar ao trabalho após a aposentadoria, manter o uso da Internet, começar a participar de grupos religiosos ou de convivência e praticar atividade física regularmente. Entretanto os fatores que tiveram impacto negativo na qualidade de vida foram permanecer morando com a família e o excesso de peso corporal (ter índice de massa corporal e circunferência da cintura elevados).

Idosos estão sujeitos à ocorrência de eventos importantes à saúde em seu dia a dia. Apesar disso, algumas mudanças contribuem com a melhora da qualidade de vida e à habilidade de adaptar-se às possíveis dificuldades enfrentadas nessa faixa etária.

 

Fontes:

- Marques, Larissa Pruner. Qualidade de vida em idosos e sua associação com mudanças nas relações sociais e no estilo de vida, Florianópolis-SC, Estudo EpiFloripa Idoso. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, da Universidade Federal de Santa Catarina. 2015.

- Tessari, Ana Aparecida. Mudança no estado nutricional e qualidade de vida em idosos de Florianópolis. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, da Universidade Federal de Santa Catarina. 2015.